Cadastro
Receba em seu e-mail onde ocorrerão as melhores baladas.
  
Parceiros

Crescimento da safra de milho deve desbancar reinado da soja em MT


Quatro cidades vão produzir mais cereal do que oleaginosa, indica Imea. Entre elas, Sorriso, maior produtora de soja do estado.

 

qualidade do milho surpreende produtores em MS (Foto: Reprodução/ TV Morena)Milho baterá recordes de produção nesta safra.
(Foto: Reprodução/ TV Morena)

Após anos de hegemonia, o reinado da soja pode estar com os dias contados em Mato Grosso. A oleaginosa é atualmente o carro-chefe da agricultura estadual, mas nos próximos anos pode deixar o posto devido ao crescimento exponencial da safra de milho. O próprio setor produtivo fala em uma inversão de papeis embora não se determinem prazos. Mas a transformação já começou. Em quatro cidades do estado a produção do cereal nesta temporada já ultrapassará a oleaginosa: Sorriso, Lucas do Rio Verde (importantes produtoras da soja), Vera e Cláudia, indica o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

De acordo com a entidade, será a primeira vez na história do estado que isso deve ocorrer. Em Sorriso, com uma área de 460 mil hectares, a segunda safra deve atingir 2,5 milhões de toneladas, 28% maior do que a produção de soja (1,9 milhão de toneladas). Já em Lucas do Rio Verde devem ser 914,7 mil toneladas do cereal para 701,4 mil toneladas de soja. Já Vera e Cláudia terão mais milho do que soja, 4,6% e 26%, respectivamente.

 

O presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho no estado (Aprosoja), Carlos Fávaro, destaca que o crescimento do milho está associado ao misto de condições favoráveis e nos investimentos maiores feitos pelos agricultores. Em tom otimista, ele destaca que aos poucos o potencial do milho vai remodelar o cenário agrícola da unidade federada.

"O milho está engatinhando e acredito que certamente será o maior produto de Mato Grosso. Talvez não em renda, mas em produção vai passar a soja pela vocação da cultura em aceitar a tecnologia", disse ao G1. Mas como lembra o dirigente da Associação, a soja não deixará de influenciar diretamente a economia do estado. Embora possa ser ultrapassada no quesito de produção ainda será ela a maior geradora de riquezas para a agricultura. Somente para este ano, por exemplo, a renda com a cultura deve bater a casa de R$ 14 bilhões frente aos R$ 3,4 bilhões do milho, aponta o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Para o ex-ministro da Agricultura e presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho), Alysson Paolinelli, a safra de milho perdeu status de safrinha e se tornou "safrão". "Mato Grosso tem uma safrinha com indicativos formidáveis que podem atender a demanda mundial", declarou.

Somente em 2012 Mato Grosso deve produzir 13,1 milhões de toneladas de milho, volume 87,5% maior peraante ao verificado no período 2010/11, em 6,9 milhões de toneladas, conforme o Imea. "O milho já está tendo a produção maior", reforça Nery Ribas, gerente-técnico da Aprosoja de Mato Grosso.

Cleber Noronha, analista de mercado Imea, lembra ainda que as condições climáticas e a tecnologia utilizada contribuirão com o resultado do estado. O especialista frisa que somente neste ano Mato Grosso deve ofertar quase 20% de todo milho que será produzido no Brasil.

Estrutura
Atrelado ao crescimento do milho, maiores deverão ser os investimentos a serem feitos para que a estrutura seja suficiente para comportar o produto. Entre eles, mais recursos para a construção de armazéns.

"Precisamos de mais armazéns. Alguns grandes produtores têm a oportunidade de fazer por conta própria [a construção]. Mas todos podem fazer sua parte", completou o presidente da Aprosoja.

 

Fonte: G1



Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Enquete
O que você esta achando administração da presidente Dilma Rousseff
Ótimo
Bom
Péssimo
Regular
Horóscopo
Descubra o que os astros reservam para você.
Publicidade
Fale conosco
E-mail: jornal.coruja@hotmail.com
Cel. 12 98271-4123 / 12 98289-6973