Cadastro
Receba em seu e-mail onde ocorrerão as melhores baladas.
  
Parceiros

Coqueluche Avança no Estado de São Paulo e Merece Atenção Especial no Município


Em Cruzeiro, de janeiro a novembro de 2012, a Vigilância Epidemiológica detectou 17 casos positivos da doença

Popularmente conhecida como tosse comprida, a coqueluche é uma doença infecciosa aguda, disseminada principalmente por jovens e adultos por meio da bactéria da bordetella pertussis.

 

Em todo o estado de São Paulo, só até julho deste ano, houve constatação de quase 200 casos, número muito maior que os casos registrados da doença para o ano passado inteiro.

 

Em Cruzeiro, de janeiro a novembro de 2012, a Vigilância Epidemiológica detectou 17 casos positivos da doença, sendo a maioria em crianças em idade escolar, com carteira de imunização em dia.

 

Seguem informações sobre a Coqueluche:

 

•           Transmissão: contato com pessoas doentes, por meio de secreções do trato respiratório - gotículas de secreção eliminadas por tosse, espirro ou durante a fala; aglomeração em ambientes fechados como vans, onibus, lojas, salas de aulas sem ventilação e outros. Em geral, crianças maiores ou adultos passam a doença para a família e estas  podem manifestar o quadro clínico clássico da doença ou formas mais leves

 

•           Período para desenvolver os sintomas da doença (período de incubação): Normalmente de 7-10 dias, após o contato com a pessoa doente. Os sinais e sintomas variam com a idade, condição vacinal e tempo decorrido desde a última dose da vacina;

 

Fases consecutivas:

1ª) Fase catarral: duração de uma ou duas semanas e manifestações respiratórias iniciais acompanhadas de sintomas leves caracterizadas por: febre pouco intensa, mal-estar geral, coriza(nariz escorrendo) e tosse seca;

 

2ª) Fase paroxística(crises da tosse): geralmente afebril(sem febre) ou com febre baixa. Caracteriza-se por crise com tosse súbita, rápida e curta;

 

3ª) Fase de convalescença(recuperação): persiste por duas a seis semanas e, em alguns casos, pode prolongar-se por até três meses. Infecções respiratórias de outra natureza, que se instalam durante a convalescença da coqueluche, podem provocar o ressurgimento transitório das crises de tosse.

 

A qualquer sinal ou sintoma da doença procure uma Unidade de Saúde mais próxima de sua residência ou um médico de sua confiança, para diagnóstico correto da doença e tratamento adequado.

 

 

Renata Porto



Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Enquete
O que você esta achando administração da presidente Dilma Rousseff
Ótimo
Bom
Péssimo
Regular
Horóscopo
Descubra o que os astros reservam para você.
Publicidade
Fale conosco
E-mail: jornal.coruja@hotmail.com
Cel. 12 98271-4123 / 12 98289-6973